Make your own free website on Tripod.com
Em busca da misteriosa VERDADE... | Iniciação Misteriosa | Mistérios do Processo da Morte | Mistérios da Transição | Mistérios do Outro Lado | Mistérios do Além-Vida do Viciado | Mistérios das Vidas Passadas | Mistérios da Noite Negra | Mistérios da Vida | Mistérios de Taphitat | Mistérios do Astral | Mistérios da Sincronicidade | Mistérios do Perfeccionismo | Mistérios de Deus | Mistérios Oníricos | Mistérios dos Sonhos | Mistérios da Energização | Mistérios da Reza | Mistérios da Religião | Mistérios da Família | Mistérios da Preocupação | Mistérios dos Nossos Corpos | Mistérios do Maldoso | Mistérios do Idioma Animal | Amigos Misteriosos-1 | Amigos Misteriosos-2 | Amigos Misteriosos-3 | Amigos Misteriosos-4 | Amigos Misteriosos-5 | Amigos Misteriosos-6 | Amigos Misteriosos-7 | Amigos Misteriosos-8 | Amigos Misteriosos-9 | Amigos Misteriosos-10 | Amigos Misteriosos-11 | Mistérios do Sobrenome Veado | Emita sua misteriosa opinião sobre esta PG MM | Misteriosa Autobiografia do Misterioso Autor | Misterioso Retorno

Home

MISTÉRIOS MARCORELIANOS
Amigos Misteriosos-1

POR QUÊ A UFOLOGIA?
Eustáquio Andréa Patounas
Escritor e Ufólogo

camaraegipcia.jpg

A Ufologia é uma coisa que nasceu comigo. Com dez anos de idade, morando em São Paulo, já era noite e ao chegar ao quintal senti um calor e alguma coisa me impeliu a olhar para cima. Quando olhei, havia uma nave parada sobre minha casa.
Chamei meus pais, vizinhos, e mais um monte de gente, e todos ficamos apreciando aquela nave, com formato típico de outros testemunhos: uma coisa grande girando sobre o próprio eixo, com luzes multicoloridas alternadas. O objeto permaneceu longo tempo parado em cima de minha casa.
Depois começou a se locomover lentamente rumo ao Parque do Ibirapuera, e todos nós acompanhando. Ao chegar sobre o Ibirapuera, fez um ziguezague que os olhos quase não acompanharam e desapareceu.
A partir daí comecei a me interessar, muito embora vocês possam achar estranho com dez anos, mas isso aqui já estava dentro de mim. Eu comecei a ler, estudar, comprar livros e nunca mais parei até hoje.

Você falou que já teve contatos. O que você tem capacidade de fazer em relação a isso?

É uma capacidade natural que todos possuem e que apenas requer um pouco de treino. Quem trabalha com computador é especialista em computador. Todo mundo é canal. Eu também posso aprender contabilidade, medicina, computação. Então, como eu me dedico à isso estou mais ligado, e isso faz com que tenha o canal aberto para eles, ou seja, para seres de outra dimensões se comunicarem comigo,
mas não é privilégio nenhum. Todos tem a mesma capacidade. Se você chegar na sua casa, começar a ter o hábito de se concentrar cinco, dez minutos por dia você vai ver que com o decorrer do tempo, dependendo de sua freqüência vibratória, você também vai começar a receber algum tipo de manifestação extrasensorial. Dependendo de sua vibração, você pode captar coisas boas ou coisas ruins. Você pode captar espíritos, assim como você pode captar extraterrestres. Tudo vai depender da sua faixa vibratória. Então não é privilégio meu, qualquer pessoa deste planeta tem condição de manter contato com outros planos, porque se assim não fosse, nós estaríamos negando a Infinita Bondade e misericórdia do PAI, porque como é que um PAI assim, um Deus de amor vamos dizer, vai colocar você de um jeito, eu de outro, então o que é isso? Que pai é esse que distingue os filhos? Então todo mundo tem a mesma capacidade, só que a gente tem livre arbítrio, que faz com que cada um decida o que quer. Cada um tem uma profissão. Não vem uma determinada profissão imposta lá de cima. Cada um escolheu, o pai pode ter influenciado, os amigos, mas quem escolheu foi a própria pessoa, então cada um escolhe o que quer fazer.

E o que você aconselha para uma pessoa que também queira chegar neste ponto de evolução?

O querer é poder. Lógico que a vida material aqui é uma delícia. Namorar, passear, fazer turismo, comer, e ninguém diz para você não fazer nada disso. Só que você deve saber, ou procurar saber, ou procurar deixar aflorar de dentro do seu ser, de que a vida não é só isso aqui. Existem outros planos, outras dimensões, outros lugares que você deve tentar alcançar, mas isso deve partir naturalmente de dentro de você. Então, para quem quer desenvolver esta área que existe dentro de você, deve fazer o que eu disse, por exemplo, se concentrar, dedicar um determinado tempo dentro das suas 24 horas, que pode ser 5 minutos. Você se aquieta num lugar, ouve uma música suave, deixa meia-luz ou luz plena. Com o tempo você vai ver que você pode se concentrar no meio da praça XV, não tem problema, pois você já tem a capacidade de se desligar de tudo, mas enquanto isso você deve ir treinando, fazer exercícios,
combinar com alguém à distância que em determinada hora você vai tentar um contato telepático por exemplo, e essa pessoa depois lhe dá um retorno. Se você tiver paciência, você vai ver que com o decorrer do tempo... quantas vezes você por exemplo pensou numa pessoa e alguns segundos depois essa pessoa ligou para você, ou você encontrou com ela na rua?. Então nós temos toda essa empatia. Você deve procurar ter também um dia tranqüilo, você deve procurar não ter ódio no seu coração, deve evitar irritar-se, você não deve fazer uso de palavras de baixo calão, a sua sensualidade tem que ser controlada também, ela tem que ser sadia, não pode ser aquela de ficar olhando para todas as mulheres com aquele olhar de lobo mau. Então isso faz, mexe, com a sua freqüência vibratória. O que você fizer durante o dia vai refletir no seu sono à noite. Toda noite nos desdobramos quando dormimos, vamos para outros planos. E os lugares onde você vai são compatíveis ao dia que você experienciou. Se você tem um dia tranqüilo, muito bom, sem raiva, sem ódio, tranqüilo, a sua faixa vibratória
está boa, você vai para um lugar com a mesma faixa vibratória que você passou o dia. Agora, se não, provavelmente você vai dormir com essa freqüência, então vai ter aqueles pesadelos: "Nossa, sonhei com uma
coisa horrorosa!". Por que? Porque a sua freqüência vibratória estava assim. Então o seu próprio equilíbrio ajuda com que você consiga manter um contato mais tranqüilo com esses seres ou com esses planos, e basta você querer, porque a sua vontade é que vai fazer você ir a algum lugar. Por exemplo, você quer ir a Porto Alegre, tudo bem. O ônibus não vai vir até você. Você vai ter que ir até a rodoviária, ou vai ter que arrumar uma carona, quem vai ter que se mexer é você. Você sabe que quer ir a Porto Alegre, mas você escolhe o jeito, as maneiras de ir para lá.

E o nome dos seres com quem você tem contato, pode nos dizer?

Primeira coisa: não costumamos identificar as fontes do contato. Salvo raras exceções, jamais dizemos quem é o emissor da mensagem ou que é o receptor. Eles mesmos dizem que o nome é um atributo da personalidade. "Ah, de quem é a mensagem?", esta é sempre a pergunta feita. A pessoa nem quer saber o que está escrito na mensagem, primeiramente quer saber quem mandou. Em segundo, ele que saber quem recebeu, como se isso fosse muito importante. Para o ser humano são importantes os nomes, então por exemplo, se falarmos: "Olha, que mandou foi o Ashtar Sheran", "Uh, legal, o Ashtar Sheran eu já ouvi falar, agora eu vou ler". Se quem mandou foi o José da Silva: "Ah, eu não conheço. Não vou nem ler isso aqui". Então, a gente não coloca o nome. Eu, em minhas canalizações, por exemplo, procuro transcrever a mensagem, e algo em meu interior faz com que quando eles querem dizer o nome, ou quando vão dizer o nome, eu corto a ligação. Porque nem eu quero saber qual é o nome, não interessa o nome. Interessa sim a mensagem que está lá. Se foi fulano, beltrano, ou até mesmo meu Eu Superior, a mim não importa. Para nós, o nome, o saber quem mandou, ou colocar o seu nome como recebedor, faz com que o nosso ego aumente. Amanhã posso me achar um gostosão: "Puxa, porque eu recebo mensagem do Ashtar Sheran, de Mestres, etc.". Então isso satisfaz somente a curiosidade das pessoas e ajuda a aumentar nosso ego.

Para você canalizar, você precisa se concentrar, ou a qualquer momento andando pela rua, por exemplo, você pode receber?

O que acontece é exatamente isso. Quando querem passar alguma mensagem através de mim, eles começam a martelar a primeira frase na minha cabeça. A primeira frase sempre está lá. Eles ficam incomodando tanto, são palavras sem som, uma frase em minha cabeça que fica repetindo, como se fosse um disco riscado. Assim que eu faço isso, a transmissão vem.



Não existem pessoas que distorcem essas mensagens?

Evidente! É uma linha muito tênue. Voltemos à faixa vibratória. Se você não estiver bem, ou se você quiser fazer aquilo, uma canalização para alimentar seu ego, ou para mostrar que você canaliza, muito provavelmente você vai canalizar sim, mas nada sério. Você vai canalizar outras forças, você vai escrever besteira, vai cair no ridículo. Você corre uma série de riscos. Para a canalização em si, o dia em que você for ter uma, coloque-se como instrumento. Esqueça a pessoa física. Esqueça quem você é. A hora em que você está recebendo aquela frase que eu falei que começa a martelar na cabeça, no meu caso, em outras pessoas pode ser diferente. Pode ser uma voz no ouvido, qualquer coisa assim. Você não deve se preocupar com o que está escrevendo, porque se você colocar o racional naquilo, pronto, você já interferiu na comunicação, e aí já vem o animismo. Existe a manifestação daquele ser que está se comunicando através de você, e se você colocar a sua interferência nisso, a mensagem vai sair truncada. Esses seres são muito sutis e o nosso corpo é muito denso. É muito grosseiro. Então, a mensagem não sai totalmente pura. Normalmente, sai 70%, porque ela tem que passar pelo nosso veículo físico, e se a gente interferir nisso, querendo saber ou prestar atenção naquilo que a gente está escrevendo, então vai sair bem mais truncado.

Até agora você falou de canalizações. E contato físico, já teve algum?

Contato físico consciente foi uma vez só, há quatro anos atrás, na região de Alto Paraíso, em Goiás, na Chapada dos Veadeiros. Eu estava num determinado lugar e de repente uma extraterrestre se manifestou na minha frente. Se materializou e não falou nada. Era branca, pálida, tipo cadavérica, com aquele tipo quase igual ao ser do final do filme "Contatos Imediatos de Terceiro Grau". Já me perguntaram como é que eu sabia que era uma mulher, porque eu só olhei da cintura para cima, mas eu sabia que era uma essência feminina. Se eu fosse olhar pela aparência dela, eu estaria correndo até agora e não estaria aqui dando esta entrevista. Os olhos físicos eram horrorosos mas muito pelo contrário. Ela transmitia uma profunda candura, muito amor, não falou nada, não sei o que nós trocamos, não sei quanto tempo durou este encontro, e do jeito que ela apareceu, desapareceu também. Agora, por outro lado, a gente vive cruzando com seres de outros planos que habitam por aqui no nosso planeta, e a gente identifica pela essência. "Você está louco esse cara aí ser um E.T.!", aparentemente você olha para ele e não tem nada, mas a gente percebe, isso você adquire com um certo tempo. Eu, particularmente, não tenho explicação para isso, mas você sabe que não é um ser daqui, deste plano. Isso acontece muito e quando eles são identificados, não se sentem muito bem, porque não gostam de serem identificados. Mas a gente cruza, você, eu e mais um monte de gente cruza com muitos deles que estão por aqui. E a gente tem que acabar com essa imagem de que extraterrestre é só anãozinho, cinzento, cabeça grande, olhos oblíquos. Nada disso, isso aí é uma raça. Existem diversas raças que estão aqui. E um extraterrestre se manifesta para você do jeito que você o imagina. Como ele é muito mais sutil, ele tem condição de moldar o corpo físico do jeito que você quer que ele apareça. Se você achar que todo E.T. é baixinho, cabeçudo, olhos pretos, três dedos, etc., o dia em que você ver um, ele vai ser exatamente igual a forma que você imaginou. Se você imagina aqueles seres parecidos conosco, cabelos brancos, compridos, olhos meio amendoados, bonitos, dessa forma, você muito provavelmente um dia vai cruzar com um desses quando tiver uma manifestação. A forma dos seres varia. Lógico que tem aqueles que são bem físicos mesmo, e eles são desta forma, cada um dentro do seu habitat. Cada um com a tipologia de seu planeta. Eles, por exemplo, devem nos achar horrorosos. Essa aqui é a nossa beleza. A beleza deles é daquela forma. Nós temos que parar muito de olhar apenas para a parte física, e procurar observar a essência. Quantas vezes você, sua mãe ou sua namorada vão fazer compras no supermercado ou no feirão, elas mexem com aqueles macetes de apertar abacaxi, melancia, tudo lindo por fora. Quando chegam em casa e vão servir, está tudo podre por dentro. O ser humano também é assim. A gente tem que aprender a olhar a parte interior, invisível aos olhos físicos, porém visível aos olhos da alma.

Mudando um pouco, como você vê a humanidade atualmente?

A humanidade atualmente vive um processo muito sério. Toda a humanidade está sentindo a alteração da freqüência vibratória. O planeta está evoluindo porque é um ser vivo. A energia do planeta está mudando, e como nós moramos nesse planeta, consequentemente somos afetados. E muitas das pessoas que estão fora desse processo, que não conhecem o que a gente estuda, estão sentindo a mesma influência. Elas estão sentindo transformações interiores e não sabem o porquê. É um momento de muita reflexão, é um momento em que a humanidade deve abrir o seu coração. Apesar de não acreditar, não deve duvidar, e deve procurar ouvir mais o seu coração, porque tem alguém que está chamando todos os seres. Alguma coisa está mudando, então vamos prestar mais atenção em coisas diferentes. Você nunca viu na TV, rádios, jornais, cinemas, falarem tanto de coisas de outros mundos, de coisas paranormais, de coisas extraterrestres. Então, tudo está fluindo naturalmente. E o ser humano tem que se lembrar de que alguma coisa está acontecendo além do cotidiano dele. Nós estamos passando por uma época difícil e qualquer transformação exige mudanças. Sua casa, por exemplo, com o tempo vai deteriorando. Então você tem que alterar alguma coisa nela. Mas essa alteração sempre gera incômodo para alguém. Você vai ter que sair de casa, vai ter poeira, sabe-se lá o que você vai fazer, e você tem que saber que isso é necessário. Esses momentos difíceis vão se intensificar cada vez mais, porque é um processo natural. Vou me expressar melhor: é um processo natural e necessário para que o ser humano no seu todo, no seu geral, comece a dar valor para as novas coisas, ou seja, a mudança de seus valores. O que acontece? Se todo mundo começa a ter dificuldades, se de repente o dinheiro some do mercado, ou se, de repente, falta comida, o que você vai fazer? Você vai procurar alternativas. Você vai procurar novos valores. "Puxa, já não tenho mais dinheiro, então vou fazer coisas onde o dinheiro não seja necessário". Mas como assim? "Se eu estava acostumado com filé mignon, agora eu vou plantar para comer?". Aí você começa a perceber que se alimenta de coisas mais saudáveis. Estou dando um exemplo isolado. Mas porque aconteceu isso? Porque ele sentiu fome, porque ele não tinha dinheiro no bolso. Se ele tivesse dinheiro no bolso, ele iria se preocupar com os outros valores? De jeito nenhum! Então a Divina Providência, ou quem seja lá em cima, faz com que essas coisas aconteçam. Muitas pessoas podem descobrir isso naturalmente, não precisam tomar um chacoalho porque não aprenderam daquela forma, e infelizmente o ser humano prefere aprender pela dor, e não pelo amor. No falecimento do Ayrton Senna mundo inteiro parou. Teve gente que falou: "Puxa, que dedicação a TV deu a isso, que perda de tempo". Mas aquilo foi uma grande lição. O mundo inteiro parou, chorou e se uniu através da dor. E por que, sendo muito mais fácil, por que o mundo não se une através do amor, através de tantas coisas maravilhosas que acontecem aqui? Mas não, todo mundo foi se unir na hora da dor. O ser humano precisa ainda ser lapidado.
Nós somos diamantes brutos. Somos diamantes, não se esqueçam! Todos somos diamantes, mas brutos. E cada um vai se lapidando conforme se permite. Ninguém vai fazer nada por você. Você que começa a se permitir. Eu só posso matar sua sede se meu copo estiver cheio e se você abrir sua boca.

Então o apocalipse é necessário para a humanidade evoluir?

Sempre acontece alguma coisa para as transformações. Nós tivemos a época dos dinossauros (que desapareceram), a época glacial, a época do dilúvio, e em tudo aconteceu alguma coisa para se transformar, porque tudo se recicla. Vejam o exemplo da semente: vira árvore, envelhece e vai criando novas sementes, e depois deteriora tudo, reciclando sempre. O apocalipse significa revelação, e não tragédia e fim de mundo como gostam de pregar. Tudo está mudando, como já falei. Agora, a forma como isto vai mudar depende de cada um de nós. Se quisermos ser pessimistas, materialistas, levar a vida do jeito que todo mundo leva, preocupados com o dia de amanhã, com o dinheiro, com bens, etc., nós vamos ter uma transição muito dolorosa. Mas por que? Porque está determinado. Por Deus? Negativo!. Senão estaríamos negando novamente: "Que pai é esse que vai nos destruir?". Não existe isso! Quem vai determinar como vai ser essa passagem, de milênio ou de transição planetária, vai ser cada ser humano. Depende de nossa forma de pensamento, daquilo que plasmamos para o futuro, que vai ser a nossa transição. Quem vai escolher se nós vamos ter tragédias ou não, vai ser o próprio ser humano. Elas estão aí previstas e tudo mais, mas quem pode mudar isso somos nós. Lembram-se do filme "Caça-Fantasmas"? Na época eu achei que foi a maior besteira que já tinha visto. Aquela coisa pegajosa que ficava nas banheiras, e você lembra como acaba o filme? Eles levaram a Estátua da Liberdade ao local onde estava o fantasma. Achei que aquilo era ridículo. Eu pensei: "O que é isso?". Mas, depois, pude entender a história. Todo aquele povo era negativo, aquela gosma era a forma pensamento do povo. Quando eles levaram a Estátua da Liberdade para lá, porque o americano é muito patriota, ele é patriota demais, o que aconteceu? Levaram perto do teatro onde estavam ocorrendo as manifestações, os americanos sentiram aquele patriotismo, aquele amor, mudaram a freqüência vibracional e acabaram com o problema. Entendeu a mensagem? É exatamente isso. Então nós, cada um trabalhando para se modificar, olhando o outro como irmão, dividindo suas coisas e levando a vida, porque o Pai nunca vai deixar de nos suprir. Aí sim, nós podemos ter uma transição, uma passagem de milênio, uma passagem de século, de uma forma tranqüila. Assim agindo, vamos parar com as guerras, viver como todo mundo quer viver, como todo mundo sonha. O homem de nossos dias infelizmente não dá a sua colaboração. Porque cada um tem que fazer a sua parte. Eu não posso fazer a parte de todos. Eu, fazendo a minha, você fazendo a sua, se cada um fizer apenas a sua parte, nós teremos o planeta sonhado por todos.

Mas você pessoalmente acha que será uma transição tranqüila, que o povo está mudando mesmo? Não dá impressão, visto em conta o que vemos na TV e nos jornais, que a humanidade está cada vez pior?

Mas enquanto muita gente está guerreando, o que você vê na TV, Jornal Nacional, Fantástico, têm muita gente que está trabalhando, que está fazendo meditações, que está mentalizando amor e luz ao planeta, muitas pessoas. E o ser humano tem a capacidade de fazer essa mudança. Uma pessoa pode salvar uma cidade! Há muitas pessoas no mundo inteiro vibrando pelo planeta, ou seja, segurando as pontas de todos aqueles que ainda não despertaram, de todos aqueles que ainda fazem guerras. Porque tem lugares e lugares, diversos lugares no mundo, onde sempre há mentalizações. Mentalizações para o Irã, Iraque, África, e em todos os pontos onde existem problemas. Se o negativismo continuar aumentando, fica difícil, mas eu sempre acredito, porque se eu disser que vai ser um final de século ruim, estarei colaborando com a forma de pensamento que acabamos de falar antes. Então, sou otimista, acho que nós vamos conseguir transformar o ser humano, e ele é que vai determinar como será a transição.

No início da entrevista, você comentou que sua ligação com a Ufologia vem desde vidas passadas. Então todo mundo que está nesse movimento também tem alguma ligação?

Muito provavelmente. Nós somos filhos do mesmo pai. Saímos todos da mesma fonte. Como diz na própria Bíblia, "a casa do meu pai tem muitas moradas". É lógico que na mesma casa não. A casa que digo é o universo. Todos nós viemos de algum lugar do universo. A Terra é um planeta que nasceu há alguns bilhões de anos atrás, mas não sabemos quanto tempo tem o universo. Nós somos um pontinho de areia no meio desse universo que é infinito. Não reunimos condições de mensurar. Se tentássemos mensurar fisicamente, existem as outras dimensões e os outros planos que desconhecemos ainda, inacessíveis à nossa ciência, à nossa tecnologia. Então, todas essas pessoas, que estão ligadas a esse movimento, na verdade, estão deixando aflorar aquela grande recordação que possuem. Nós estamos lapidando aquele diamante, porque nós somos centelhas divinas, somos filhos do mesmo pai. E sendo filhos do mesmo pai, temos a mesma herança genética, falando nas palavras terrestres. Então, consequentemente, vamos gradativamente despertando e conforme trilhamos esse caminho, alcançamos aquela freqüência que está sendo vibrada, e acessamos o Todo. Porque nós sabemos tudo. Nós somos tudo, somos luz! Se eu sou um pedaço do pai, eu tenho todas as informações do pai, eu só preciso acessar a fonte para pegar as informações. Eu costumo dizer que nós somos teclados de um grande computador central. Então basta você saber, mexendo nas teclas apropriadas, procurando, estudando, trabalhando e aprendendo, para poder acessar a fonte, e todo mundo tem esse direito. Todo aquele que desperta para isso e vai se trabalhando, se burilando, vai deixando aflorar sua luz interior, e aí vem as revelações, as respostas que procura: de onde vim, para onde vou, quem sou?. Isso ninguém vai lhe dizer. Não é um pai de santo, uma cartomante, um informante quem vai lhe dar essa informação. Isso faz parte do processo, ele pode ajudar temporariamente, mas tem uma hora que você vai ter que caminhar sozinho. Você vai ter que largar suas muletas para tentar caminhar sozinho. E aí é que começa sua verdadeira caminhada de volta para casa.

Sobre os extraterrestres nos monitorarem o tempo todo, o que você diz disto?


Não é questão de monitorar, eles estão nos observando sempre, porque eles são nossos irmãos, irmãos mais evoluídos ou irmãos de outras esferas. Só que, assim como dentro de nossas famílias existem pessoas boas e pessoas más, é óbvio que nem todos os ETs são bonzinhos. E também não apenas hostis. Em absoluto. Assim como em toda sociedade, existem aqueles seres que são evoluídos tecnologicamente mas não são evoluídos espiritualmente. O que tem acontecido é que eles participam de nossas vidas da seguinte forma: eles nos orientam através das canalizações, nos dão novas diretrizes através de mensagens, ajudam a preservar nosso planeta, muito embora eles não possam interferir, mas eles tem higienizado nossa atmosfera, e estão fazendo muita coisa boa pelo planeta, pela nossa civilização. De monitorar em si, alguns seres de mais baixa vibração entram em contato com seres que estão na mesma freqüência, que nós falamos anteriormente aqui. Existem muitos seres extraterrestres que não estão muito preocupados com nossa evolução, muito pelo contrário, eles querem que a gente se destrua.. Mas eles só vão ter sucesso se a nossa vibração for compatível com a deles. É isso que quero dizer. Mas a maioria dos seres não monitoram desta forma, ao pé da letra, de nos comandar, coisas assim. Existem seres nocivos, que também são filhos do mesmo Pai, mas que resolveram optar por um caminho diferente, e às vezes se apropriam da personalidade de pessoas fracas ou de vibração baixa, e através disso começam a fazer coisas erradas, denigrem a imagem, fazem aquelas hostilidades que vocês tem notícia no cenário ufológico, tais como as abduções e exames dolorosos. Esses seres são aqueles que ainda não despertaram para a luz. Um dia, todos haverão de despertar.

E a Socex, como anda?

A Socex é uma sociedade de estudos extraterrestres, como diz o nome, sem fins lucrativos, registrada, fundada em primeiro de agosto de 91. É de utilidade pública municipal por lei, e é uma entidade que trabalha em função
da Ufologia em si, porque a Ufologia é muito mais abrangente do que o simples fato de você ficar procurando disco voador no céu e procurando E.T.. Nossa tarefa é divulgar a Ufologia, a mensagem dos irmãos extraterrestres, promover eventos onde possamos proporcionar a vinda de conferencistas renomados ou não. Nós promovemos palestras por todo o Brasil, por toda Santa Catarina. Temos estado em escolas, em grupos fechados, ajudando em feiras de ciências, em centros espíritas, em igrejas. Não somos demagogos, fanáticos malucos. Trabalhamos pela reforma do ser, para que caminhemos todos juntos, de mãos dadas, sem diferenças étnicas, sem divisas nem fronteiras. Há pessoas com muitas coisas e outras com quase nada. A divisão das coisas não é utopia, isso é possível. A nossa sociedade quando o planeta se iniciava, era assim, não tinha divisas, não tinha fronteiras. Estivemos diversas vezes no Peru onde se você olhar, naquela terra árida, você vai perguntar como é que essas pessoas sobrevivem.Todo mundo colaborando, é uma lição de vida.
Mas eles já tem esse espírito de nova-era, de quarta dimensão. Eles não tem cercas nas suas.
A Socex está sempre aberta para todos que queiram, e o que mais fazemos aqui é ouvir as pessoas que tem relatos, tem dúvidas sobre os ETs, e que infelizmente não podem dividir com ninguém, porque Ufologia, discos voadores, ainda é motivo de chacota, de gozação, de riso.

Para encerrar, deixe uma mensagem aos leitores.

Que as pessoas reflitam sobre essas informações que passamos, e que procurem se transformar internamente, deixando aparecer a luz interna de cada um, confiando na sua Divina Presença, e permitindo que aflore essa centelha divina que está dentro de cada um de nós. Amor e Luz a todos!

Página do Autor

camaraegipcia.jpg